Domingo, 9 de Junho de 2013

Brasileiros podem ser afetados por espionagem do governo dos EUA


Documento vazado mostra que o PRISM não monitora apenas atividade no país, mas a comunicação que circula pelos servidores de lá

Reprodução
vigilância privacidade
A notícia de que o governo americano trabalha com as maiores empresas de tecnologia do mundo para espionagem de usuários pode passar despercebida para os brasileiros, mas não deveria. Isso porque boa parte da comunicação brasileira na internet passa diretamente pelos backbones americanos, e está sujeita a vigilância.

O documento vazado que detalha como funciona o "PRISM" mostra como o grosso das informações que circulam na internet trafegam por meio de grandes empresas do país; justamente as empresas que têm parceria com o programa.

Reprodução

(Tráfego de dados entre continentes Fonte: Washington Post)

Segundo o documento de abril de 2013, que leva em conta um estudo de 2011 da TeleGeography, trafegam entre a América Anglo-saxônica (EUA e Canadá) e a América Latina cerca de 3 mil gigabits de dados por segundo. E toda essa informação pode ser diretamente monitorada pelo governo americano.

Além disso, é importante ressaltar que o Brasil é o país da América Latina com maior presença na internet, até pelo tamanho de sua população. Os brasileiros estão entre dos maiores usuários de redes sociais do mundo, ficando apenas atrás dos próprios Estados Unidos em número de usuários ativos no Facebook, que é um dos participantes do PRISM.

Reprodução

O problema pode ser visto em caso recente, em que a justiça brasileira entrou em disputa com o Google, que resistia em repassar informações de usuários que eram investigados por formação de quadrilha, corrupção passiva, fraude à licitação lavagem de dinheiro, advocacia administrativa e tráfico de influência. A empresa, no entanto, afirmava que os dados não poderiam ser repassados porque estavam armazenados nos Estados Unidos, onde a legislação brasileira não se aplica.

Noticia retirada do Olhar Digital

publicado por radiomaisto às 11:44
link do post | comentar | favorito
partilhar

Brasileiros podem ser afetados por espionagem do governo dos EUA


Documento vazado mostra que o PRISM não monitora apenas atividade no país, mas a comunicação que circula pelos servidores de lá

Reprodução
vigilância privacidade
A notícia de que o governo americano trabalha com as maiores empresas de tecnologia do mundo para espionagem de usuários pode passar despercebida para os brasileiros, mas não deveria. Isso porque boa parte da comunicação brasileira na internet passa diretamente pelos backbones americanos, e está sujeita a vigilância.

O documento vazado que detalha como funciona o "PRISM" mostra como o grosso das informações que circulam na internet trafegam por meio de grandes empresas do país; justamente as empresas que têm parceria com o programa.

Reprodução

(Tráfego de dados entre continentes Fonte: Washington Post)

Segundo o documento de abril de 2013, que leva em conta um estudo de 2011 da TeleGeography, trafegam entre a América Anglo-saxônica (EUA e Canadá) e a América Latina cerca de 3 mil gigabits de dados por segundo. E toda essa informação pode ser diretamente monitorada pelo governo americano.

Além disso, é importante ressaltar que o Brasil é o país da América Latina com maior presença na internet, até pelo tamanho de sua população. Os brasileiros estão entre dos maiores usuários de redes sociais do mundo, ficando apenas atrás dos próprios Estados Unidos em número de usuários ativos no Facebook, que é um dos participantes do PRISM.

Reprodução

O problema pode ser visto em caso recente, em que a justiça brasileira entrou em disputa com o Google, que resistia em repassar informações de usuários que eram investigados por formação de quadrilha, corrupção passiva, fraude à licitação lavagem de dinheiro, advocacia administrativa e tráfico de influência. A empresa, no entanto, afirmava que os dados não poderiam ser repassados porque estavam armazenados nos Estados Unidos, onde a legislação brasileira não se aplica.

Noticia retirada do Olhar Digital

publicado por radiomaisto às 11:44
link do post | comentar | favorito
partilhar

Brasileiros podem ser afetados por espionagem do governo dos EUA


Documento vazado mostra que o PRISM não monitora apenas atividade no país, mas a comunicação que circula pelos servidores de lá

Reprodução
vigilância privacidade
A notícia de que o governo americano trabalha com as maiores empresas de tecnologia do mundo para espionagem de usuários pode passar despercebida para os brasileiros, mas não deveria. Isso porque boa parte da comunicação brasileira na internet passa diretamente pelos backbones americanos, e está sujeita a vigilância.

O documento vazado que detalha como funciona o "PRISM" mostra como o grosso das informações que circulam na internet trafegam por meio de grandes empresas do país; justamente as empresas que têm parceria com o programa.

Reprodução

(Tráfego de dados entre continentes Fonte: Washington Post)

Segundo o documento de abril de 2013, que leva em conta um estudo de 2011 da TeleGeography, trafegam entre a América Anglo-saxônica (EUA e Canadá) e a América Latina cerca de 3 mil gigabits de dados por segundo. E toda essa informação pode ser diretamente monitorada pelo governo americano.

Além disso, é importante ressaltar que o Brasil é o país da América Latina com maior presença na internet, até pelo tamanho de sua população. Os brasileiros estão entre dos maiores usuários de redes sociais do mundo, ficando apenas atrás dos próprios Estados Unidos em número de usuários ativos no Facebook, que é um dos participantes do PRISM.

Reprodução

O problema pode ser visto em caso recente, em que a justiça brasileira entrou em disputa com o Google, que resistia em repassar informações de usuários que eram investigados por formação de quadrilha, corrupção passiva, fraude à licitação lavagem de dinheiro, advocacia administrativa e tráfico de influência. A empresa, no entanto, afirmava que os dados não poderiam ser repassados porque estavam armazenados nos Estados Unidos, onde a legislação brasileira não se aplica.

Noticia retirada do Olhar Digital

publicado por radiomaisto às 07:44
link do post | comentar | favorito
partilhar

Brasileiros podem ser afetados por espionagem do governo dos EUA


Documento vazado mostra que o PRISM não monitora apenas atividade no país, mas a comunicação que circula pelos servidores de lá

Reprodução
vigilância privacidade
A notícia de que o governo americano trabalha com as maiores empresas de tecnologia do mundo para espionagem de usuários pode passar despercebida para os brasileiros, mas não deveria. Isso porque boa parte da comunicação brasileira na internet passa diretamente pelos backbones americanos, e está sujeita a vigilância.

O documento vazado que detalha como funciona o "PRISM" mostra como o grosso das informações que circulam na internet trafegam por meio de grandes empresas do país; justamente as empresas que têm parceria com o programa.

Reprodução

(Tráfego de dados entre continentes Fonte: Washington Post)

Segundo o documento de abril de 2013, que leva em conta um estudo de 2011 da TeleGeography, trafegam entre a América Anglo-saxônica (EUA e Canadá) e a América Latina cerca de 3 mil gigabits de dados por segundo. E toda essa informação pode ser diretamente monitorada pelo governo americano.

Além disso, é importante ressaltar que o Brasil é o país da América Latina com maior presença na internet, até pelo tamanho de sua população. Os brasileiros estão entre dos maiores usuários de redes sociais do mundo, ficando apenas atrás dos próprios Estados Unidos em número de usuários ativos no Facebook, que é um dos participantes do PRISM.

Reprodução

O problema pode ser visto em caso recente, em que a justiça brasileira entrou em disputa com o Google, que resistia em repassar informações de usuários que eram investigados por formação de quadrilha, corrupção passiva, fraude à licitação lavagem de dinheiro, advocacia administrativa e tráfico de influência. A empresa, no entanto, afirmava que os dados não poderiam ser repassados porque estavam armazenados nos Estados Unidos, onde a legislação brasileira não se aplica.

Noticia retirada do Olhar Digital

publicado por radiomaisto às 07:44
link do post | comentar | favorito
partilhar

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 1 seguidor

.pesquisar

 

.Outubro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


.posts recentes

. Brasileiros podem ser afe...

. Brasileiros podem ser afe...

. Brasileiros podem ser afe...

. Brasileiros podem ser afe...

.arquivos

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Outubro 2010

.tags

. todas as tags

.links

.as minhas fotos

.subscrever feeds

SAPO Blogs