Sábado, 20 de Outubro de 2012

Página de gatas exóticas no Facebook "explode" de sucesso entre internautas

Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 1 de 14
As Suicide Girls (ou SG) são garotas com visual radical, com tatuagens e piercings. A página delas no Facebook "explodiu" de audiência e já ultrapassou, com folga, a barreira dos três milhões de "curtir" (até a tarde desta quinta, já são quase, 3,5 milhões!). Veja aqui algumas das fotos que elas usam para promover a página e saiba o porquê de tanto sucesso!

Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 2 de 14
A página do Facebook, por sua vez, é só uma amostra do conteúdo erótico do site, o suicidegirls.com


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 3 de 14
Os assinantes do site têm acesso livre a milhares de ensaios fotográficos das gatas totalmente nuas

Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 4 de 14
O SG foi fundado em 2011. Na época era uma rede social do MySpace e o conteúdo também era diferente: as modelos eram bem menos tatuadas



Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 5 de 14
A proposta do site é valorizar aquilo que é diferente. "O que algumas pessoas consideram estranho ou diferente é o que nos fazem belas", descreve a página do Facebook


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 6 de 14
A descrição da página oficial fala ainda mais da "filosofia" do SG: "O site mistura inteligência, entusiasmo e atitude, além do melhor da música e cultura alternativa para abordamos a sexualidade"


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 7 de 14
Outro detalhe interessante é que as modelos do SG lembram as famosas pin-ups, aqueles desenhos eróticos de mulheres com pouquíssima roupa que ficaram famosas entre os soldados durante a Segunda Guerra Mundial


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 8 de 14
Loiras, morenas, ruivas, orientais: são gatas para todos os gostos!


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 9 de 14
"Da mesma forma Playboy tornou-se um farol e guia para o solteirão convicto da década de 1960, o Suicide Girls está na vanguarda de uma geração de jovens homens e mulheres cujos ideais sobre a sexualidade não estão em conformidade com a mídia tradicional", afirma o site


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 10 de 14
Em cinco anos, o público do SG chegou a atingir 5 milhões de visitantes em um único mês. Só na página do Facebook, são mais de 3 milhões de "curtir"

Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 11 de 14
São mais de mil modelos, um livro publicado, um DVD e uma linha de roupas



Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 12 de 14
Existe também um aplicativo na App Store: a proposta é endender tudo sobre garotas alternativas e saber como identificá-las

Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 13 de 14
Além do site, o SG tem perfis oficiais no Youtube, Facebook, Twitter, MySpace, Tumblr, Vimeo, Flickr e FormSpring


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 14 de 14
O melhor: o app é gratuito e está disponível para sistemas iOS e Android


Noticia Retirada do R7

publicado por radiomaisto às 11:52
link do post | comentar | favorito
partilhar

Página de gatas exóticas no Facebook "explode" de sucesso entre internautas

Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 1 de 14
As Suicide Girls (ou SG) são garotas com visual radical, com tatuagens e piercings. A página delas no Facebook "explodiu" de audiência e já ultrapassou, com folga, a barreira dos três milhões de "curtir" (até a tarde desta quinta, já são quase, 3,5 milhões!). Veja aqui algumas das fotos que elas usam para promover a página e saiba o porquê de tanto sucesso!

Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 2 de 14
A página do Facebook, por sua vez, é só uma amostra do conteúdo erótico do site, o suicidegirls.com


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 3 de 14
Os assinantes do site têm acesso livre a milhares de ensaios fotográficos das gatas totalmente nuas

Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 4 de 14
O SG foi fundado em 2011. Na época era uma rede social do MySpace e o conteúdo também era diferente: as modelos eram bem menos tatuadas



Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 5 de 14
A proposta do site é valorizar aquilo que é diferente. "O que algumas pessoas consideram estranho ou diferente é o que nos fazem belas", descreve a página do Facebook


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 6 de 14
A descrição da página oficial fala ainda mais da "filosofia" do SG: "O site mistura inteligência, entusiasmo e atitude, além do melhor da música e cultura alternativa para abordamos a sexualidade"


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 7 de 14
Outro detalhe interessante é que as modelos do SG lembram as famosas pin-ups, aqueles desenhos eróticos de mulheres com pouquíssima roupa que ficaram famosas entre os soldados durante a Segunda Guerra Mundial


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 8 de 14
Loiras, morenas, ruivas, orientais: são gatas para todos os gostos!


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 9 de 14
"Da mesma forma Playboy tornou-se um farol e guia para o solteirão convicto da década de 1960, o Suicide Girls está na vanguarda de uma geração de jovens homens e mulheres cujos ideais sobre a sexualidade não estão em conformidade com a mídia tradicional", afirma o site


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 10 de 14
Em cinco anos, o público do SG chegou a atingir 5 milhões de visitantes em um único mês. Só na página do Facebook, são mais de 3 milhões de "curtir"

Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 11 de 14
São mais de mil modelos, um livro publicado, um DVD e uma linha de roupas



Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 12 de 14
Existe também um aplicativo na App Store: a proposta é endender tudo sobre garotas alternativas e saber como identificá-las

Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 13 de 14
Além do site, o SG tem perfis oficiais no Youtube, Facebook, Twitter, MySpace, Tumblr, Vimeo, Flickr e FormSpring


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 14 de 14
O melhor: o app é gratuito e está disponível para sistemas iOS e Android


Noticia Retirada do R7

publicado por radiomaisto às 11:52
link do post | comentar | favorito
partilhar

Página de gatas exóticas no Facebook "explode" de sucesso entre internautas

Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 1 de 14
As Suicide Girls (ou SG) são garotas com visual radical, com tatuagens e piercings. A página delas no Facebook "explodiu" de audiência e já ultrapassou, com folga, a barreira dos três milhões de "curtir" (até a tarde desta quinta, já são quase, 3,5 milhões!). Veja aqui algumas das fotos que elas usam para promover a página e saiba o porquê de tanto sucesso!

Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 2 de 14
A página do Facebook, por sua vez, é só uma amostra do conteúdo erótico do site, o suicidegirls.com


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 3 de 14
Os assinantes do site têm acesso livre a milhares de ensaios fotográficos das gatas totalmente nuas

Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 4 de 14
O SG foi fundado em 2011. Na época era uma rede social do MySpace e o conteúdo também era diferente: as modelos eram bem menos tatuadas



Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 5 de 14
A proposta do site é valorizar aquilo que é diferente. "O que algumas pessoas consideram estranho ou diferente é o que nos fazem belas", descreve a página do Facebook


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 6 de 14
A descrição da página oficial fala ainda mais da "filosofia" do SG: "O site mistura inteligência, entusiasmo e atitude, além do melhor da música e cultura alternativa para abordamos a sexualidade"


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 7 de 14
Outro detalhe interessante é que as modelos do SG lembram as famosas pin-ups, aqueles desenhos eróticos de mulheres com pouquíssima roupa que ficaram famosas entre os soldados durante a Segunda Guerra Mundial


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 8 de 14
Loiras, morenas, ruivas, orientais: são gatas para todos os gostos!


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 9 de 14
"Da mesma forma Playboy tornou-se um farol e guia para o solteirão convicto da década de 1960, o Suicide Girls está na vanguarda de uma geração de jovens homens e mulheres cujos ideais sobre a sexualidade não estão em conformidade com a mídia tradicional", afirma o site


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 10 de 14
Em cinco anos, o público do SG chegou a atingir 5 milhões de visitantes em um único mês. Só na página do Facebook, são mais de 3 milhões de "curtir"

Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 11 de 14
São mais de mil modelos, um livro publicado, um DVD e uma linha de roupas



Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 12 de 14
Existe também um aplicativo na App Store: a proposta é endender tudo sobre garotas alternativas e saber como identificá-las

Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 13 de 14
Além do site, o SG tem perfis oficiais no Youtube, Facebook, Twitter, MySpace, Tumblr, Vimeo, Flickr e FormSpring


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 14 de 14
O melhor: o app é gratuito e está disponível para sistemas iOS e Android


Noticia Retirada do R7

publicado por radiomaisto às 11:52
link do post | comentar | favorito
partilhar

Página de gatas exóticas no Facebook "explode" de sucesso entre internautas

Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 1 de 14
As Suicide Girls (ou SG) são garotas com visual radical, com tatuagens e piercings. A página delas no Facebook "explodiu" de audiência e já ultrapassou, com folga, a barreira dos três milhões de "curtir" (até a tarde desta quinta, já são quase, 3,5 milhões!). Veja aqui algumas das fotos que elas usam para promover a página e saiba o porquê de tanto sucesso!

Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 2 de 14
A página do Facebook, por sua vez, é só uma amostra do conteúdo erótico do site, o suicidegirls.com


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 3 de 14
Os assinantes do site têm acesso livre a milhares de ensaios fotográficos das gatas totalmente nuas

Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 4 de 14
O SG foi fundado em 2011. Na época era uma rede social do MySpace e o conteúdo também era diferente: as modelos eram bem menos tatuadas



Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 5 de 14
A proposta do site é valorizar aquilo que é diferente. "O que algumas pessoas consideram estranho ou diferente é o que nos fazem belas", descreve a página do Facebook


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 6 de 14
A descrição da página oficial fala ainda mais da "filosofia" do SG: "O site mistura inteligência, entusiasmo e atitude, além do melhor da música e cultura alternativa para abordamos a sexualidade"


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 7 de 14
Outro detalhe interessante é que as modelos do SG lembram as famosas pin-ups, aqueles desenhos eróticos de mulheres com pouquíssima roupa que ficaram famosas entre os soldados durante a Segunda Guerra Mundial


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 8 de 14
Loiras, morenas, ruivas, orientais: são gatas para todos os gostos!


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 9 de 14
"Da mesma forma Playboy tornou-se um farol e guia para o solteirão convicto da década de 1960, o Suicide Girls está na vanguarda de uma geração de jovens homens e mulheres cujos ideais sobre a sexualidade não estão em conformidade com a mídia tradicional", afirma o site


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 10 de 14
Em cinco anos, o público do SG chegou a atingir 5 milhões de visitantes em um único mês. Só na página do Facebook, são mais de 3 milhões de "curtir"

Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 11 de 14
São mais de mil modelos, um livro publicado, um DVD e uma linha de roupas



Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 12 de 14
Existe também um aplicativo na App Store: a proposta é endender tudo sobre garotas alternativas e saber como identificá-las

Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 13 de 14
Além do site, o SG tem perfis oficiais no Youtube, Facebook, Twitter, MySpace, Tumblr, Vimeo, Flickr e FormSpring


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 14 de 14
O melhor: o app é gratuito e está disponível para sistemas iOS e Android


Noticia Retirada do R7

publicado por radiomaisto às 11:52
link do post | comentar | favorito
partilhar

Página de gatas exóticas no Facebook "explode" de sucesso entre internautas

Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 1 de 14
As Suicide Girls (ou SG) são garotas com visual radical, com tatuagens e piercings. A página delas no Facebook "explodiu" de audiência e já ultrapassou, com folga, a barreira dos três milhões de "curtir" (até a tarde desta quinta, já são quase, 3,5 milhões!). Veja aqui algumas das fotos que elas usam para promover a página e saiba o porquê de tanto sucesso!

Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 2 de 14
A página do Facebook, por sua vez, é só uma amostra do conteúdo erótico do site, o suicidegirls.com


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 3 de 14
Os assinantes do site têm acesso livre a milhares de ensaios fotográficos das gatas totalmente nuas

Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 4 de 14
O SG foi fundado em 2011. Na época era uma rede social do MySpace e o conteúdo também era diferente: as modelos eram bem menos tatuadas



Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 5 de 14
A proposta do site é valorizar aquilo que é diferente. "O que algumas pessoas consideram estranho ou diferente é o que nos fazem belas", descreve a página do Facebook


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 6 de 14
A descrição da página oficial fala ainda mais da "filosofia" do SG: "O site mistura inteligência, entusiasmo e atitude, além do melhor da música e cultura alternativa para abordamos a sexualidade"


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 7 de 14
Outro detalhe interessante é que as modelos do SG lembram as famosas pin-ups, aqueles desenhos eróticos de mulheres com pouquíssima roupa que ficaram famosas entre os soldados durante a Segunda Guerra Mundial


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 8 de 14
Loiras, morenas, ruivas, orientais: são gatas para todos os gostos!


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 9 de 14
"Da mesma forma Playboy tornou-se um farol e guia para o solteirão convicto da década de 1960, o Suicide Girls está na vanguarda de uma geração de jovens homens e mulheres cujos ideais sobre a sexualidade não estão em conformidade com a mídia tradicional", afirma o site


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 10 de 14
Em cinco anos, o público do SG chegou a atingir 5 milhões de visitantes em um único mês. Só na página do Facebook, são mais de 3 milhões de "curtir"

Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 11 de 14
São mais de mil modelos, um livro publicado, um DVD e uma linha de roupas



Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 12 de 14
Existe também um aplicativo na App Store: a proposta é endender tudo sobre garotas alternativas e saber como identificá-las

Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 13 de 14
Além do site, o SG tem perfis oficiais no Youtube, Facebook, Twitter, MySpace, Tumblr, Vimeo, Flickr e FormSpring


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 14 de 14
O melhor: o app é gratuito e está disponível para sistemas iOS e Android


Noticia Retirada do R7

publicado por radiomaisto às 11:52
link do post | comentar | favorito
partilhar

Página de gatas exóticas no Facebook "explode" de sucesso entre internautas

Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 1 de 14
As Suicide Girls (ou SG) são garotas com visual radical, com tatuagens e piercings. A página delas no Facebook "explodiu" de audiência e já ultrapassou, com folga, a barreira dos três milhões de "curtir" (até a tarde desta quinta, já são quase, 3,5 milhões!). Veja aqui algumas das fotos que elas usam para promover a página e saiba o porquê de tanto sucesso!

Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 2 de 14
A página do Facebook, por sua vez, é só uma amostra do conteúdo erótico do site, o suicidegirls.com


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 3 de 14
Os assinantes do site têm acesso livre a milhares de ensaios fotográficos das gatas totalmente nuas

Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 4 de 14
O SG foi fundado em 2011. Na época era uma rede social do MySpace e o conteúdo também era diferente: as modelos eram bem menos tatuadas



Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 5 de 14
A proposta do site é valorizar aquilo que é diferente. "O que algumas pessoas consideram estranho ou diferente é o que nos fazem belas", descreve a página do Facebook


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 6 de 14
A descrição da página oficial fala ainda mais da "filosofia" do SG: "O site mistura inteligência, entusiasmo e atitude, além do melhor da música e cultura alternativa para abordamos a sexualidade"


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 7 de 14
Outro detalhe interessante é que as modelos do SG lembram as famosas pin-ups, aqueles desenhos eróticos de mulheres com pouquíssima roupa que ficaram famosas entre os soldados durante a Segunda Guerra Mundial


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 8 de 14
Loiras, morenas, ruivas, orientais: são gatas para todos os gostos!


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 9 de 14
"Da mesma forma Playboy tornou-se um farol e guia para o solteirão convicto da década de 1960, o Suicide Girls está na vanguarda de uma geração de jovens homens e mulheres cujos ideais sobre a sexualidade não estão em conformidade com a mídia tradicional", afirma o site


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 10 de 14
Em cinco anos, o público do SG chegou a atingir 5 milhões de visitantes em um único mês. Só na página do Facebook, são mais de 3 milhões de "curtir"

Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 11 de 14
São mais de mil modelos, um livro publicado, um DVD e uma linha de roupas



Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 12 de 14
Existe também um aplicativo na App Store: a proposta é endender tudo sobre garotas alternativas e saber como identificá-las

Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 13 de 14
Além do site, o SG tem perfis oficiais no Youtube, Facebook, Twitter, MySpace, Tumblr, Vimeo, Flickr e FormSpring


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 14 de 14
O melhor: o app é gratuito e está disponível para sistemas iOS e Android


Noticia Retirada do R7

publicado por radiomaisto às 11:52
link do post | comentar | favorito
partilhar

Página de gatas exóticas no Facebook "explode" de sucesso entre internautas

Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 1 de 14
As Suicide Girls (ou SG) são garotas com visual radical, com tatuagens e piercings. A página delas no Facebook "explodiu" de audiência e já ultrapassou, com folga, a barreira dos três milhões de "curtir" (até a tarde desta quinta, já são quase, 3,5 milhões!). Veja aqui algumas das fotos que elas usam para promover a página e saiba o porquê de tanto sucesso!

Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 2 de 14
A página do Facebook, por sua vez, é só uma amostra do conteúdo erótico do site, o suicidegirls.com


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 3 de 14
Os assinantes do site têm acesso livre a milhares de ensaios fotográficos das gatas totalmente nuas

Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 4 de 14
O SG foi fundado em 2011. Na época era uma rede social do MySpace e o conteúdo também era diferente: as modelos eram bem menos tatuadas



Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 5 de 14
A proposta do site é valorizar aquilo que é diferente. "O que algumas pessoas consideram estranho ou diferente é o que nos fazem belas", descreve a página do Facebook


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 6 de 14
A descrição da página oficial fala ainda mais da "filosofia" do SG: "O site mistura inteligência, entusiasmo e atitude, além do melhor da música e cultura alternativa para abordamos a sexualidade"


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 7 de 14
Outro detalhe interessante é que as modelos do SG lembram as famosas pin-ups, aqueles desenhos eróticos de mulheres com pouquíssima roupa que ficaram famosas entre os soldados durante a Segunda Guerra Mundial


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 8 de 14
Loiras, morenas, ruivas, orientais: são gatas para todos os gostos!


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 9 de 14
"Da mesma forma Playboy tornou-se um farol e guia para o solteirão convicto da década de 1960, o Suicide Girls está na vanguarda de uma geração de jovens homens e mulheres cujos ideais sobre a sexualidade não estão em conformidade com a mídia tradicional", afirma o site


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 10 de 14
Em cinco anos, o público do SG chegou a atingir 5 milhões de visitantes em um único mês. Só na página do Facebook, são mais de 3 milhões de "curtir"

Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 11 de 14
São mais de mil modelos, um livro publicado, um DVD e uma linha de roupas



Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 12 de 14
Existe também um aplicativo na App Store: a proposta é endender tudo sobre garotas alternativas e saber como identificá-las

Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 13 de 14
Além do site, o SG tem perfis oficiais no Youtube, Facebook, Twitter, MySpace, Tumblr, Vimeo, Flickr e FormSpring


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 14 de 14
O melhor: o app é gratuito e está disponível para sistemas iOS e Android


Noticia Retirada do R7

publicado por radiomaisto às 11:52
link do post | comentar | favorito
partilhar

Página de gatas exóticas no Facebook "explode" de sucesso entre internautas

Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 1 de 14
As Suicide Girls (ou SG) são garotas com visual radical, com tatuagens e piercings. A página delas no Facebook "explodiu" de audiência e já ultrapassou, com folga, a barreira dos três milhões de "curtir" (até a tarde desta quinta, já são quase, 3,5 milhões!). Veja aqui algumas das fotos que elas usam para promover a página e saiba o porquê de tanto sucesso!

Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 2 de 14
A página do Facebook, por sua vez, é só uma amostra do conteúdo erótico do site, o suicidegirls.com


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 3 de 14
Os assinantes do site têm acesso livre a milhares de ensaios fotográficos das gatas totalmente nuas

Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 4 de 14
O SG foi fundado em 2011. Na época era uma rede social do MySpace e o conteúdo também era diferente: as modelos eram bem menos tatuadas



Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 5 de 14
A proposta do site é valorizar aquilo que é diferente. "O que algumas pessoas consideram estranho ou diferente é o que nos fazem belas", descreve a página do Facebook


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 6 de 14
A descrição da página oficial fala ainda mais da "filosofia" do SG: "O site mistura inteligência, entusiasmo e atitude, além do melhor da música e cultura alternativa para abordamos a sexualidade"


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 7 de 14
Outro detalhe interessante é que as modelos do SG lembram as famosas pin-ups, aqueles desenhos eróticos de mulheres com pouquíssima roupa que ficaram famosas entre os soldados durante a Segunda Guerra Mundial


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 8 de 14
Loiras, morenas, ruivas, orientais: são gatas para todos os gostos!


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 9 de 14
"Da mesma forma Playboy tornou-se um farol e guia para o solteirão convicto da década de 1960, o Suicide Girls está na vanguarda de uma geração de jovens homens e mulheres cujos ideais sobre a sexualidade não estão em conformidade com a mídia tradicional", afirma o site


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 10 de 14
Em cinco anos, o público do SG chegou a atingir 5 milhões de visitantes em um único mês. Só na página do Facebook, são mais de 3 milhões de "curtir"

Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 11 de 14
São mais de mil modelos, um livro publicado, um DVD e uma linha de roupas



Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 12 de 14
Existe também um aplicativo na App Store: a proposta é endender tudo sobre garotas alternativas e saber como identificá-las

Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 13 de 14
Além do site, o SG tem perfis oficiais no Youtube, Facebook, Twitter, MySpace, Tumblr, Vimeo, Flickr e FormSpring


Divulgação/Facebook/Suicide GirlsDivulgação/Facebook/Suicide Girls
Foto 14 de 14
O melhor: o app é gratuito e está disponível para sistemas iOS e Android


Noticia Retirada do R7

publicado por radiomaisto às 11:52
link do post | comentar | favorito
partilhar

Google divulga fotos incríveis de seu centro de dados

Reprodução/Goo
Reprodução/GoogleReprodução/Google

Manter todos os seus serviços funcionando em diversas partes do planeta não é uma tarefa fácil para o Google. Se poucos do YouTube fora do ar já causam um barulho grande na internet, imagine o que pode acontecer se todos os vários serviços da gigante de Mountain View ficarem indisponíveis? Pois é, para armazenar todos os dados e processar tanta informação a empresa conta com uma série de data centers. Confira nas imagens o dia-a-dia das pessoas e equipamentos que fazem o Google funcionar!

Reprodução/Google

Dá para ver que os equipamentos da empresa seguem as cores do logotipo do Google: vermelho, amarelo, azul e verde

Reprodução/GoogleReprodução/Google

As imagens revelam uma série de computadores que são responsáveis por processar as suas informações e responder o mais rápido possível quando você usa o buscador, acessa o YouTube ou manda um e-mail via Gmail


Reprodução/GoogleReprodução/Google

As instalações da empresa contam com centenas de milhares de servidores, cabos coloridos e até mesmo bicicletas para que o engenheiros tenham mais agilidade na movimentação entre as máquinas


Reprodução/GoogleReprodução/Google

A empresa tem uma série de instalações localizadas ao redor do globo, desde uma fábrica de papel convertida em data center na Finlândia até fazendas de servidores em Iowa (Estados Unidos)


Reprodução/GoogleReprodução/Google

O Google liberou fotos de oito instalações por todo o mundo


Reprodução/GoogleReprodução/Google

A empresa também está construindo novas instalações em Hong Kong, Taiwan, Cingapura e no Chile...



Reprodução/GoogleReprodução/Google

Dá uma ideia do quanto a infraestrutura da "gigante das buscas" é grande, não é mesmo?


Reprodução/GoogleReprodução/Google

Com mais de uma década de vida, o Google desenvolveu alguns dos mais avançados servidores do mundo. Em poucos minutos os técnicos da empresa conseguem diagnosticar problemas, como um computador superaquecido, por exemplo


Reprodução/GoogleReprodução/Google

Quem quiser, pode continuar a visita ao Google usando o serviço Street View





Noticia retirada do R7

publicado por radiomaisto às 11:39
link do post | comentar | favorito
partilhar

Google divulga fotos incríveis de seu centro de dados

Reprodução/Goo
Reprodução/GoogleReprodução/Google

Manter todos os seus serviços funcionando em diversas partes do planeta não é uma tarefa fácil para o Google. Se poucos do YouTube fora do ar já causam um barulho grande na internet, imagine o que pode acontecer se todos os vários serviços da gigante de Mountain View ficarem indisponíveis? Pois é, para armazenar todos os dados e processar tanta informação a empresa conta com uma série de data centers. Confira nas imagens o dia-a-dia das pessoas e equipamentos que fazem o Google funcionar!

Reprodução/Google

Dá para ver que os equipamentos da empresa seguem as cores do logotipo do Google: vermelho, amarelo, azul e verde

Reprodução/GoogleReprodução/Google

As imagens revelam uma série de computadores que são responsáveis por processar as suas informações e responder o mais rápido possível quando você usa o buscador, acessa o YouTube ou manda um e-mail via Gmail


Reprodução/GoogleReprodução/Google

As instalações da empresa contam com centenas de milhares de servidores, cabos coloridos e até mesmo bicicletas para que o engenheiros tenham mais agilidade na movimentação entre as máquinas


Reprodução/GoogleReprodução/Google

A empresa tem uma série de instalações localizadas ao redor do globo, desde uma fábrica de papel convertida em data center na Finlândia até fazendas de servidores em Iowa (Estados Unidos)


Reprodução/GoogleReprodução/Google

O Google liberou fotos de oito instalações por todo o mundo


Reprodução/GoogleReprodução/Google

A empresa também está construindo novas instalações em Hong Kong, Taiwan, Cingapura e no Chile...



Reprodução/GoogleReprodução/Google

Dá uma ideia do quanto a infraestrutura da "gigante das buscas" é grande, não é mesmo?


Reprodução/GoogleReprodução/Google

Com mais de uma década de vida, o Google desenvolveu alguns dos mais avançados servidores do mundo. Em poucos minutos os técnicos da empresa conseguem diagnosticar problemas, como um computador superaquecido, por exemplo


Reprodução/GoogleReprodução/Google

Quem quiser, pode continuar a visita ao Google usando o serviço Street View





Noticia retirada do R7

publicado por radiomaisto às 11:39
link do post | comentar | favorito
partilhar

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 1 seguidor

.pesquisar

 

.Outubro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


.posts recentes

. Melhores apps de Windows ...

. Infográfico mostra a traj...

. Game of Thrones, Imagens ...

. COM TRÊS GOLS DE HENRIQUE...

. Valdivia explica "desabaf...

. Confira a sinopse do segu...

. Saga Crepúsculo ganhará c...

. Orkuti: brasileiro cria r...

. 10 curiosidades muito int...

. As 17 árvores mais incrív...

.arquivos

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Outubro 2010

.tags

. todas as tags

.links

.as minhas fotos

.subscrever feeds

SAPO Blogs